Queremos a graça, mas sem cruz

cruz

Temos querido a graça, mas sem cruz. A ansiedade por tornar Cristo conhecido tem provocado uma mercantilização de sua graça, oferecida segundo as leis da publicidade. Os cristãos não conseguem conviver com a ideia que a estrada da salvação é estreita e tratam de alargá-la para caber todo mundo, mesmo os que não querem carregar a cruz. Precisamos de uma boa teologia do pacto, não aquela dominada pelo legalismo, mas aquela plena da noção de parceria Deus-homem, a partir da verdade bíblica que a intimidade do homem para com Deus é para aqueles que o temem, aos quais Ele faz conhecer a aliança (Sl 25.14).

Trecho do livro “Igreja. Acabou?” de Israel Belo de Azevedo.

Anúncios

Um comentário sobre “Queremos a graça, mas sem cruz

  1. Boa postagem!

    Entendo que a cruz que o cristão deve carregar não é uma pesada, pois Jesus quer carregar o nosso fardo pesado. A cruz é o dever de negar as vontades humanas e praticar as vontades de Deus.

    Quais? Amar ao Senhor acima de tudo e todos; amar o próximo como a si mesmo, amar os inimigos. Isso não é difícil de praticar depois que nos entregamos de verdade ao Senhor. É fácil!

    Em Cristo,

    E.A.G.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s